www.centrallestenoticias.com.br
www.saomiguelpaulista.com.br
www.itaimpaulista.com.br

Itaim Paulista abriga uma das poucas fábricas de berrantes do Brasil

Publicada em: 27-05-2016

Herberth Brasil/CLN

 

Com mais de um século de existência, a fábrica de berrantes ArtChifre, localizada no bairro do Itaim Paulista, zona leste de São Paulo, é uma das poucas em funcionamento no país. Mantida pela família Malaquias, a empresa  funciona em uma casa simples no Jardim Camargo Novo. Considerada uma das poucas em funcionamento no país, a empresa produz artesanalmente trinta peças por mês, uma por dia. A produção é vendida para selarias, boiadeiros e como artigos de peças de decoração em lojas especializadas.

 

O fabricante de berrantes e artista plástico, Marciel Malaquias, 55, é o dono da ArtChifre. Fundada em 1913 pelo avô, José Malaquias, o negócio já é mantido pela terceira geração da família Malaquias e está caminhando para a quarta. Com a ajuda de dois dos sete filhos, a oficina, administrada por Marciel,  produz peças que podem variar de trezentos e cinquenta  a  mil e quinhetos reais. Cada berrante produzido tem um som específico e  são necessários quatro chifres de boi intercalados, que devem se encaixar em curvatura e espessura adequadas para a confecção de cada peça. A qualidade  do berrante está na capacidade do instrumento de executar os toques tradicionais conhecidos como: Saída ou Solta, Estradão, Rebatedouro e Floreia.  Os chifres de gado mais usados são das raças Guzerá e Carreiro. 

 

Marciel Malaquias contou um pouco da trajetória do avô, um agricultor que depois de sair da Bahia para procurar uma vida melhor em São Paulo, iniciou em Marília (SP) as atividades da ArtChifre:"Ele pediu a Deus, que tivese uma oportunidade de trabalhar, ter uma profissão, e aí ele [o avô] sonhou comprando uma morsa usada, dessas de prender uma serrinha de arco e um pinguinzinho feito de chifre,. Sonhou com um monte de chifre e no outro dia pela manhã cedo, contou esse sonho para a mulher dele e foi atrás desse material que tinha sonhado"..

 

Após o episódio, "...o avô parou de trabalhar com consignado e passou a viajar pelo Brasil para vender seus berrantes e o negócio da família dura até hoje..", completa Marciel.

 

No Brasil, famílias de berranteiros como a de Malaquias são escassas. A outra fábrica artesanal de berrantes em atividade, encontra-se instalada em Bernadino de Campos, interior de São Paulo e pertence ao artesão Jairo Domingos Agrizzi.

 

                                                                                                                                                                Herberth Brasil/CLN

 

Produzir berrantes não é uma tarefa fácil. A falta de chifres de boi no mercado interfere na quantidade de produção do produto. O artista plástico, comentou o fato: “Agora nós estamos com um grande problema, que desde a época do meu avô para a nossa época a raça de gado modificou-se completamente . Se você andar no país inteiro, você vai ver que nas fazendas só tem gado sem chifre[...]. Hoje você tem alguns pecuaristas que têm algumas cabeças de gado, que gostam do animal, para manter a tradição de tê-los com chifres. Mas é para desfile e não para comércio".

 

A oficina ArtChifre não trabalha apenas na fabricação de berrantes. A fábrica artesanal produz também outros utensíliosa partir das sobras do chifre do boi  e de chifres que não servem para a fabricação de berrantes.Também são confeccionados chaveiros, calçadeiras, bengalas, garfos, o que contribui para a longevidade da empresa. 

 

História

 

O berrante chegou ao Brasil pelas mãos do povo africano há três séculos. O instrumento, que funciona como uma corneta, é usado para orientação, alarme e comando da boiada. O instrumento ganhou importância no Brasil, durante o movimento Tropeirista, que abrangeu o fim do século XVII e durou até as primeiras décadas do século XX. Um período que não havia estradas, apena trilhas abertas por nativos.

 

Durante o Tropeirismo o berrante era usado pelos tropeiros para agrupar os animais e evitar o estouro da boiada.

 

 

 

 

 


 

Outras Matérias

Comente essa notícia

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

 

MARIA DO CARMO SILVA comentou:
MORO AQUI POR PERTO E GOSTARIA DE PARABENIZAR PELO NOSSO BAIRRO SER MAIS CONHECIDO

Draw My Life: Itaim Paulista
405 anos de história

São Paulo (SP)

Copyright © 1998-2016 CLN-Central Leste Notícias. Todos os direitos reservados.

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da CLN