www.centrallestenoticias.com.br
www.saomiguelpaulista.com.br
www.itaimpaulista.com.br

Pokémon Go é febre nos espaços públicos de São Miguel e Itaim Paulista

Publicada em: 05-08-2016

Daniele Amorim e Natalia Almeida/CLN

 

                                                                                                                                                               CLN

Os monstrinhos estão em todos os lugares

 

Lançado na última quarta feira, 3, no Brasil. O jogo de realidade virtual aumentada "Pokémon Go" é febre em todo o país. Desde seu lançamento há dois dias, mais de 50 milhões de usuários brasileiros possuem o aplicativo instalado.

 

Na região do extremo leste a situação não é diferente,  moradores de São Miguel e Itaim Paulista passeiam pelos bairros afim de encontrar os monstros virtuais e as "pokéstops" - locais onde o jogador pode encontrar novos itens para capturar os pokémons.

 

Em São Miguel, há pokéstops em lugares históricos da região como a Capela de São Miguel Arcanjo (conhecida como Capela dos Índios), o monumento do Rotary Club(em frente ao restaurante Piassi) e Lions CLub (em frente ao Mercadão de São Miguel), a torre do relógio Gabriel Velucci no Mercado Municipal, a Praça da Paz e as estações de trem de São Miguel(antiga) e do Jardim Helena.

 

Até mesmo a Academia IFC Itaim Fight Center de Jui Jitsu, na Av Marechal Tito, 2300 é um belo deposito de pokémons e aparece no aplicativo como um espaço poderoso para a caça.

 

                                                                                                                                                                                                       Arte/CLN

Locais conhecidos da região aparecem como pokéstops no aplicativo

 

Na praça Padre Aleixo Monteiro Mafra, no centro comercial do bairro, o casal de 20 anos Karina Cabral e Lucas Nore passeia pelo espaço com o celular na mão afim de capturar alguns pokémons.

 

Por conta do jogo, eles já estiveram em outras regiões do extremo leste para perseguir mais monstros: "A gente foi até Ermelino [Matarazzo] e nós estamos de carro, então é bem fácil" diz Karina.

 

A brincadeira também reúne a família, o segurança Robélio Souza, 40, começou a jogar por influência do filho e o levou para caçar os monstros virtuais pela praça: "Ainda estou aprendendo a jogar. Comecei a jogar hoje, eu estava mexendo no celular e abri o jogo do meu filho."

 

A tatuadora Adriana Ventieri, 24, está aproveitando o jogo e percorreu alguns pontos do bairro: "Em todo lugar tem alguém com a cara enfiada na frente do celular. Já fui com a minha mãe para a avenida Nordestina. A minha tia também foi [caçar] no Jardim Helena".

 

"Quase fui atropelado sem querer. Eu sempre fui fã de Pokemon Go, já fui em todas as pokéstops da região de São Miguel. " disse o vendedor Matheus Bueno, 18.

 

No Itaim Paulista as pokéstops estão concentradas no centro comercial do bairro, como na avenida Marechal Tito e Dom João Nery, além da rua Tibúrcio de Souza.  Na estátua da "Mão que segura a Pedra Pequena" na praça Silva Teles há um ginásio onde os treinadores pokemóns - como são chamados os usuários, possam utilizar seus pokémons capturados para lutar contra outros jogadores. 

 


 

Outras Matérias

Comente essa notícia

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

 

Draw My Life: Itaim Paulista
405 anos de história

São Paulo (SP)

Copyright © 1998-2016 CLN-Central Leste Notícias. Todos os direitos reservados.

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da CLN